OS 10 ROMANCES MAIS IMPORTANTES DA LITERATURA BRASILEIRA

1. MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS - MACHADO DE ASSIS


Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1881

Número de Páginas: 182

Editora: Martin Claret

Sinopse: Uma desconstrução do Brasil, por meio da ironia, que escancara a hipocrisia da nossa elite dirigente no século 19. Machado de Assis dá voz a um narrador defunto que, longe da vida social, pode zombar do caráter das pessoas com quem conviveu. Brás Cubas é um homem rico e solteiro que, depois de morto, resolve se dedicar à tarefa de narrar sua própria vida. Dessa perspectiva, emite opiniões sem se preocupar com o julgamento que os vivos podem fazer dele. O romance também é importante por se valer de novas técnicas narrativas, fazendo-se a obra mais inovadora daquele século.

Como obter: compre aqui







2. O ATENEU - RAUL POMPEIA 






Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1888

Número de Páginas: 160

Editora: Sol 90

Sinopse: Considerado o único romance impressionista da literatura brasileira, O Ateneu, de Raul Pompéia, é uma obra de difícil enquadramento na história da literatura. Por isso mesmo, dona de uma originalidade fascinante. Nela, o protagonista Sérgio narra seus dois anos de vida neste internato para meninos, que de fato existiu no Rio de Janeiro do século XIX.

Como obter: compre aqui











3. RECORDAÇÕES DO ESCRIVÃO ISAÍAS CAMINHA - LIMA BARRETO 

Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1909

Número de Páginas: 312

Editora: Penguin & Companhia das Letras

Sinopse: Filho de uma escrava liberta e um tipógrafo, Lima Barreto nunca teve em vida o reconhecimento que a sua obra merecia. Isso talvez se justifique, ao menos em parte, pela repercussão de Recordações do Escrivão Isaías Caminha na sociedade carioca. Ao ambientar o personagem numa redação de jornal, Lima Barreto trata de maneira impiedosa a classe jornalística, que respondeu aos insultos banindo o autor da imprensa carioca. E, embora tenha sido publicada em 1909, em meio ao otimismo pós-Lei Áurea, a história de Isaías mostra um cotidiano bastante cruel para os negros. O jovem é culto e inteligente, mas isso não basta para que ele seja inserido na sociedade, pois será esmagado pelo preconceito racial.

Como obter: compre aqui






4. MACUNAÍMA - MÁRIO DE ANDRADE 






Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1928

Número de Páginas: 240

Editora: Agir

Sinopse: Macunaíma nasceu numa tribo amazônica. Lá passa sua infância, mas não é uma criança igual as outras do lugar. É um menino mentiroso, traidor, pratica muitas safadezas, fala muitos palavrões, além de ser extremamente preguiçoso.

Como obter: compre aqui














5. VIDAS SECAS - GRACILIANO RAMOS 





Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1938

Número de Páginas: 176

Editora: Record

Sinopse: Em Vidas Secas, o autor se mostra mais humano, sentimental e compreensivo, acompanhando o pobre vaqueiro Fabiano e sua família com simpatia e uma compaixão indisfarçáveis. Vidas Secas contém maior sentimento da terra nordestina, daquela parte que é áspera, dura e cruel, sem deixar de ser amada pelos que a ela estão ligados teluricamente. O que impulsiona os seres desta novela, o que lhes marca a fisionomia e os caracteres, é o fenômeno da seca.

Como obter: compre aqui








6. FOGO MORTO - JOSÉ LINS DO REGO 



Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1943

Número de Páginas: 416

Editora: José Olympio - Grupo Editorial Record

Sinopse: Em Fogo Morto aparecem todos os elementos regionalistas de José Lins do Rego, servindo este livro de ponte entre os ciclos da cana-de-açúcar e do misticismo e fanatismo religioso. É um romance impregnado de tristeza e de demência. Fogo Morto é um tríptico, derredor de três personagens fortes, que se completam admiravelmente. O centro da obra é o mundo decadente do engenho Santa Fé. Num tom de conversa autêntica, aqui, não só todos os personagens têm profunda força humana, como o próprio engenho se humaniza.

Como obter: compre aqui






7. GRANDE SERTÃO: VEREDAS - GUIMARÃES ROSA 


Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1956

Número de Páginas: 571

Editora: José Olympio - Grupo Editorial Record

Sinopse: Nesta obra de Guimarães Rosa, o sertão é visto e vivido de uma maneira subjetiva e profunda, e não apenas como uma paisagem a ser descrita, ou como uma série de costumes que parecem pitorescos. Sua visão resulta de um processo de integração total entre o autor e a temática, e dessa integração a linguagem é o reflexo principal. Para contar o sertão, Guimarães Rosa utiliza-se do idioma do próprio sertão, falado por Riobaldo em sua extensa e perturbadora narrativa. Encontramos em Grande Sertão: Veredas dimensões universais da condição humana - o amor, a morte, o sofrimento, o ódio, a alegria - retratadas através das lembranças do jagunço em suas aventuras no sertão mítico, e de seu amor impossível por Diadorim.

Como obter: compre aqui


8. A PAIXÃO SEGUNDO GH - CLARICE LISPECTOR 





Informações Gerais: 
Ano de Lançamento: 1964

Número de Páginas: 180

Editora: Relógio D' Água

Sinopse: Esta obra conta o pensar e o sentir de G.H., a protagonista-narradora que despede a empregada doméstica e decide fazer uma limpeza geral no quarto de serviço, que ela supõe imundo e repleto de inutilidades. Após recuperar-se da frustração de ter encontrado um quarto limpo e arrumado, G.H. depara-se com uma barata na porta do armário. Depois do susto, ela esmaga o inseto e decide provar seu interior branco.

Como obter: compre aqui






9. O CORONEL E O LOBISOMEM - JOSÉ CÂNDIDO DE CARVALHO 


Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1964

Número de Páginas: 313

Editora: Companhia das Letras

Sinopse: O personagem Ponciano de Azeredo Furtado, narrador-coronel do título, é daqueles que fazem o leitor esquecer-se de que está lendo um romance. Passamos a acreditar que ele realmente existe, que se trata de um homem de carne e osso, um ser vivo, tal como nós. "Homem que é homem duas coisas de principal deve ter: barba grande e voz grossa. O charuto é para espantar o povinho dos empréstimos", descreve-se o coronel. Ao seu lado, nos arredores de Campos dos Goitacazes, vivemos os mais divertidos causos e as mais fantásticas aventuras, caçamos uma onça-pintada e nos deparamos com uma sereia. Também namoramos bastante, que o coronel é chegado num recurvado de moça bonita. O ponto culminante da narrativa é o embate com o lobisomem - não é qualquer um comedor de farinha que pode lidar com lobisomem, bicho de muita astúcia no atacado e no varejo.

                                                                       Como obter: compre aqui





10. A PEDRA DO REINO - ARIANO SUASSUNA


Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1971

Número de Páginas: 756

Editora: José Olympio - Grupo Editorial Record

Sinopse: A pedra do reino é apresentado como um romance autobiográfico narrado por Dom Pedro Dinis Ferreira- Quadrena, o auto-proclamado Rei do Quinto Império e do Quinto Naipe, Profeta da Igreja Católico-Sertaneja e pretendente ao trono do Império do Brasil. Quaderna, obcecado em criar uma versão essencialmente nordestina para o livro Compêndio narrativo do peregrino da América Latina, de Nuno Marques Pereira, se descreve como descendente dos verdadeiros reis brasileiros - que nenhuma relação têm com aqueles imperadores estrangeirados e falsificados da Casa de Bragança. Seus antepassados são, na verdade, os legítimos reis castanhos e cabras da Pedra do Reino do Sertão, que fundaram a sagrada Coroa do Brasil. As desventuras de Quaderna e a trágica história de sua família na cidade de São José do Belmonte, no interior de Pernambuco, funcionam como o ponto de partida para                                                                           Suassuna promover suas misturas perfeitas - o rico com o                                                                    pobre, a arte com o cotidiano, a ingenuidade com a malícia,                                                                    a realidade com a fantasia, a odisseia com a sátira, a Europa                                                                     com o sertão.

                                                                        Como obter: compre aqui





*Lista organizada de acordo com a Revista Bula: http://www.revistabula.com/

Por hoje é só pessoal, até a próxima semana.
Beijos!

Comentários

  1. Oi. Percebi que preciso ler mais classicos brasileiros. De todos o único que eu li foi "Vidas Secas" e odiei! Fui obrigada a ler pra um trabalho da escola aí parece que tudo perde o prazer quando somos obrigados. =/ Mesmo assim não voltaria a ler!
    Já ouvi falar muito bem de "o grande sertão veredas" e de "memórias póstumas de Brás Cubas".
    Beijos
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Jessica, que bom! Daqui uns dias vai sair resenha de Memórias Póstumas de Brás Cubas aqui no blog. Fique atenta! Quem sabe você não se interesse também. Bjs!

      Excluir
  2. Esses livros mais clássicos eu não sou muito chegada não, até porque peguei um trauma na minha escola por causa das provas que por causa disso deixei de ler os livros nacionais pensando que eram todos parecidos. Mas eu vi que não são né? Eu acho que a linguagem utilizada me cansava muito e sinceramente não são livros que pegaria para ler não, nem depois do trauma que passei na escola hahahaah

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/resenha-enquanto-houver-amor-havera.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Silvana, você não é a única traumatizada, fique tranquila! Mas eu deixei o tempo passar e agora voltei a reler os clássicos e estou amando. Faça isso, bjs!

      Excluir
  3. Oie...
    Assim como a Jessica, preciso dar uma atenção maior para os clássicos da nossa literatura. De todos que sitou, só li o Memórias Póstumas de Brás Cuba e com muito esforço de minha alma. kkkk
    Estou em falta e tentarei me redimir com os nossos clássicos. =/
    Juh - Surtos da Juleka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, surta aí então e leia-os por favor. HAHAHA
      Bjs

      Excluir
  4. Ola lindona são grandes clássicos e confesso que há muito tempo não leio um, preciso me redimir, são obras ótimas, mas muitas vezes fico com receio de não fluir tão bem devido a escrita. Mas vou tentar ler com certeza pelo menos um desses grandes destaques. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joyce, faça isso! Não vai se arrepender, tem histórias bem legais. Bjs!

      Excluir
  5. Olá,
    Não sou o tipo de leitura que gosta de clássicos (que HORRÍVEL NEH?) Já tentei ler, mas não consigo me apegar a leitura e acabo deixando de lado. Vou tentar ler novamente algum dos listados!

    Beijos,
    Lendo no Inverno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom tentar, principalmente se você é uma blogueira, precisa conhecer a escrita dos nossos autores nacionais. Bjs!

      Excluir
  6. Olá!
    Os livros da Clarice são meus amorzinhos, adoro eles <3 Adoro Memórias Póstumas, mas ele não ficaria com o primeiro lugar, pois ele pertence à Senhora.

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, a Clarice é uma diva mesmo, também gosto. Sobre a lista, não está em ordem de melhor para pior, ok?

      Excluir
  7. Oie, Heloísa.
    Você sabia que nunca li nem um dos livros da lista? E na verdade não me sinto culpada ou obrigada a ler qualquer um deles. Talvez leia O Coronel e o Lobisomem porque foi o único cuja sinopse me interessou. <3
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando || Livre-se você também!

    ResponderExcluir
  8. Wow, que incrível! Adorei seu post e já o estou salvando para futuras referências. Fiquei muito surpresa ao ver, por exemplo, que nunca pensei em ler O Ateneu. E quão interessante é ver que essa obra se tornou importante por ter um estilo narrativo raro. Gostei mesmo dessa informação. Parabéns pela lista!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oii, tudo bem?
    Eu tenho que confessar que das 10 obras que você citou, eu só conhece quatro. Eu não sou uma grande fã de clássicos, mas alguns realmente chamaram a minha atenção e eu espero ter a oportunidade de conferir alguns.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oiee ^^
    Acredita que eu ainda não li nenhum desses livros? E, sinceramente, não queria fazê-lo tão cedo, mas Machado de Assis é um autor que sempre cai nos vestibulares, então terei que ler os livros dele *-* Tenho curiosidade de ler os livros da Clarice :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oie!!!
    tenho lido tão poucos clássicos ultimamente. Inclusive até resolvi me arriscar em uma projeto buscando ler mais.Vamos vê se consigo ler pelo menos metade da lista nos próximos meses kkkk.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Realmente, são livros excepcionais.
    Eu acrescentaria a lista o João Ubaldo Ribeiro :D

    ResponderExcluir
  13. Eu já li mais da metade desses que você indicou, mas na escola, então sou completamente traumatizada com esses livros, e não sei se leria um dia de novo.

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Heloísa, sua linda, tudo bem
    Me lembrei agora dos meus tempos de escola, esses livros eram indicados na aula de literatura e depois no vestibular. O autor Ariano Suassuna é muito bom. Vidas secas é um livro que me marcou muito, até hoje lembro dele. Gostei muito da sua postagem.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? ^^

    Dos 10 que estão na lista, li apenas "Memórias póstumas de Brás Cubas", lembro que li ele por obrigação devido a escola e que acabei adorando a história. XD

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS 17 MELHORES SUSPENSES DE TODOS OS TEMPOS

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [3/4]

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [4/4]