CRIANÇAS COMO VOCÊ - BARNABAS E ANABEL KINDERSLEY



"Do Ártico à linha do Equador, da América do Sul ao Sudoeste asiático, as crianças do mundo inteiro estão ocupadas com as mesmas coisas. Elas adoram esconde-esconde e jogos de bola e gostam de ir à escola. Preocupam-se com as guerras e querem a paz. Também se preocupam com o meio ambiente e acham que os adultos estão acabando com ele. Neste livro, vamos encontrar crianças de todos os lugares - de pequenas comunidades rurais a grandes cidades, de terras frias e nevadas a outras quentes e úmidas. Vamos descobrir o cotidiano, as esperanças, os medos e os sonhos dessas crianças. E vamos ficar sabendo o quanto elas têm em comum umas com as outras - e com você!"


Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 1995
Número de Páginas: 80
Editora: Ática

Minha nota: 

O Barnabas e a Anabel, através do Unicef rodaram o mundo, fotografando crianças e seus hábitos de vida, suas famílias e seus costumes. Esse livro é sensacional por isso, porque te traz conhecimento de toda parte do mundo, te faz refletir e se sensibilizar com os relatos. Eu amei o livro, tanto é que, fiz marcações em todas as páginas. Cada criança tem algo novo para te acrescentar - podemos aprender muitas coisas com crianças -, e acho que os autores tiveram esse cuidado, de selecionar histórias que fosse impactar o leitor.

Os dois fotógrafos contam que para concluir esse trabalho, levaram mais de um ano de viagem, tendo que carregar um material fotográfico de 110 kg (muitas vezes em mochilas) e enfrentando todos os tipos de clima. Se emocionaram várias vezes, e contaram que a atitude deles de abraçar as crianças era inconveniente em alguns lugares, mas que era praticamente impossível ir embora sem lhes dar um abraço. Ao final, puderam perceber a sorte de terem o conforto que têm em suas casas, energia elétrica e água corrente, e é isso que gostariam que nós (leitores) nos sentíssemos: sortudos.

Quanto às crianças, não consegui escolher uma delas para compartilhar com vocês. Então, vou fazer algo diferente: separei-as por continentes e escolhi uma característica de cada uma - que pra mim, são curiosidades, coisas novas que aprendi ou que simplesmente me fizeram pensar. Quero que comparem, as condições socioculturais e socioeconômicas de cada estado/cidade/país, a visão de mundo que essas crianças têm e que reflitam comigo. Confira:

* AMÉRICAS
  • Oscar (Bolívia): seu prato favorito é arroz;
  • Carlitos (Argentina): seu prato favorito é churrasco;
  • Celina (Brasil): anda descalça, nunca teve sapato; vai à escola há 1 mês porque antes não tinha professora;
  • Omar (México): "Se eu pudesse mudar o mundo, ajudaria todas as crianças que são abandonadas pela família. Iria falar com os pais e pedir que não deixassem os filhos trabalharem nas ruas. Eles deveriam é criá-los em casa, alimentá-los e garantir que fossem à escola";
  • Carlos (Novo México): "Quando crescer quero ser inventor para criar coisas que não poluam o ambiente";
  • Nicole (Califórnia): "Tenho no quintal de casa, uma piscina com trampolim, casa na árvore, doceria e cadeia de mentirinha";
  • Taylor (Nova York): quer ser Power Ranger quando crescer;
  • Taryn (Ilinóis): "Gosto do mundo, mas queria que fosse mais limpo: não deveriam poluir o ar, porque a poluição mata os passarinhos e as árvores";
  • Gabriel (Alasca): comem o que caçam (carne de alce ou pato) e de sobremesa agutak, o sorvete-esquimó;
  • Levi (Canadá): janta carne de rena com catchup.
* EUROPA
  • Ari (Finlândia): tem sauna em casa, usa 2 vezes por semana;
  • Mónika (Hungria): ansia pelo domingo a noite para dormir na parte de cima da beliche que divide com a irmã;
  • Bogna (Polônia): "Sinto necessidade de ir à missa, mesmo que as vezes seja chato." Canta no coral;
  • Olia (Moscou): reveza os brinquedos com a irmã e às vezes discutem por causa disso;
  • Rachel (França): mora em um castelo cercado de vinhedos com 16 cômodos. A família produz vinho Château Peybonhomme;
  • Yannis (ilha de Creta): "Ia adorar conhecer Atenas, a capital da Grécia. Deve ter um monte de brinquedos lá!".
* ÁFRICA
  • Mohammed (Cairo): "Eu gostaria de viajar pelo mundo inteiro e conhecer todos os lugares interessantes";
  • Bakang (Botsuana): a casa onde vive é feita de terra e esterco de vaca seco com teto de palha. Não tem eletricidade e à noite é iluminada com lampião de querosene. Bakang acha sua casa muito bonita!;
  • Aseye (Gana): adora cantar hinos na igreja e acredita que, quando morrer, sua alma irá para o céu;
  • Houda (Marrocos): "Na TV eu vejo uma porção de guerras e lutas, e fico desejando que tudo isso acabe e que possa haver paz no mundo";
  • Esta (Tanzânia): tem adornos especiais na cabeça que segundo sua cultura, mostram que ela já tem idade para casar (12 anos);
  • Tadesse (Etiópia): mora em um orfanato, pois seu pai morreu e a mãe é doente. 
* ÁSIA
  • Guo Shuang (Pequim): "Não quero muito crescer: as crianças têm mais tempo para brincar do que os adultos",
  • Erdene (Mongólia): é nômade, mora em tendas;
  • Daisuke (Ogawa): toda manhã, antes da escola, ele vai recolher os ovos das galinhas;
  • Yong-Koo e Ji-Koo (Coréia do Sul): "O bom de ser criança é ter um monte de possibilidades pela frente. Os adultos já decidiram o que vão fazer - não têm mais possibilidades";
  • Meena (Nova Délhi): mora num barraco de tijolo e telha corrugada. Não tem energia elétrica, nem água encanada, e o sanitário fica do lado de fora. A casa fica num canteiro de obras onde os pais trabalham e será desmanchada quando o trabalho terminar, fazendo com que a família procure outro lugar;
  • Sarala (Índia): tem um cabrito chamado Amu. Cabras são seus bichos favoritos. Não gosta de cachorro porque tem medo de levar mordida;
  • Michael (Israel): "Acho que o melhor de ser criança é receber muito amor da família";
  • Sabah (Jordânia): tem 23 irmãos e meio-irmãos; são tantos que as vezes, os pais nem percebem que alguns ainda estão brincando lá fora...quando eles chegam, a comida do jantar já acabou!;
* SUDESTE ASIÁTICO E OCEANIA
  • Thi Liên (Vietnã): mora num povoado minúsculo, auto-suficiente, que cultiva sua própria comida e faz muitas das suas roupas; o povoado tem eletricidade própria, gerada numa queda d'água lá perto;
  • Suchart (Tailândia): mora num templo onde estuda para ser monge. Raspa a cabeça e as sobrancelhas uma vez por mês;
  • Edgar (Filipinas): "Eu abro 300 ostras antes da escola e 200 depois. Gosto de ajudar meus pais nisso, porque assim eles ganham dinheiro para eu poder estudar. Quero me sair bem na escola e, quando for mais velho, ganhar dinheiro para minha mãe comprar arroz";
  • Subaedah (Indonésia): "Quando crescer, quero ser médica: os doentes vão me pagar montes de dinheiro para sarar e aí eu fico rica!";
  • Ngawaiata (Nova Zelândia): mora com a avó porque entre os maoris, é tradição as crianças serem criadas pelos avós;
  • Rosita (Austrália): "Eu preferiria que não houvesse prédios altos: as crianças pequenas podem cair. Se eu pudesse, faria todo prédio alto ficar baixo."


Sobre o UNICEF

Em mais de 140 países, o Unicef ajuda crianças - especialmente as mais pobres - através de programas para melhoria da saúde, educação e nutrição e para o abastecimento de água. Assiste também crianças vítimas de guerra e outras desgraças. Conheça os projetos, acessando o site oficial: http://www.unicef.org.br/




Agora sobre o livro, a edição está linda, com fotos feitas pelos fotógrafos durante as viagens. O papel de impressão parece ser o papel de foto mesmo. Não sei, sinceramente, como consegui esse livro, ele estava na gaveta do meu quarto e eu li (HAHA). Talvez, a escola tenha pedido para as aulas de história, mas não me lembro de ter usado o livro pra isso. É possível achá-lo em sebos e livrarias online, por isso leiam. Não é o tipo de livro que você precisa se dedicar à leitura: você pode ler uma página por dia, na ordem que quiser. Fica a dica de um livro extraordinário!

Aliás, houve uma exibição deste livro em uma livraria dos Estados Unidos, em seu título original Children Just Like Me, onde havia meios digitais de interação com a obra, que você pode conferir tudo AQUI

Fiz um vídeo lá no Instagram com maiores detalhes da edição, onde fica mais fácil observar as imagens. Se você ainda não me segue por lá, é só se direcionar pelo link abaixo ou pelo link na coluna à sua direita.

Um vídeo publicado por 🙋Dona: @heloartoni (@jardim_dos_livros) em


Beijos e boas leituras :*

Comentários

  1. Meu primo também tem esse livro, a escola dele pediu e eu acabei lendo com ele. É um livro simplesmente incrível e que você sabe cada detalhes e cada história que nunca passou pela a cabeça de ninguém, pelo menos não na minha. Foi bem legal descobrir novos hábitos, costumes e as vestimentas de cada crianças eu gostei bastante. E sobre eles levarem 110 kg de equipamento fotográfico =O, é amar sua profissão.
    https://nerdbookblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Que máximo, eu já tinha visto na internet algumas imagens soltas de crianças do mundo, talvez desse livro mesmo, mas não sabia da existência dele. Vou procurar pra ver tudinho e apesar de algumas informações, quando se trata de crianças parta meu coração, é sempre bom saber...

    ResponderExcluir
  3. Nossa gente, esse livro parece ser bem emocionante, só de ler algumas falas de crianças que colocou acima, já fiquei pensativa. Risonha em algumas frases e bem triste em outras. Fiquei curiosa para ver mais imagens, o livro deve ser lindo e que projeto bacana, gostei muito.

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá

    Acho tão incrivél conhecer novos costumes e ter um livro que mostre isso através de crianças é simplesmente espetacular. Ele parece ser bem reflexivo também, só de ver alguns depoimentos ali me arrepiou imagine o contexto inteiro.

    Bjos
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Eu não conhecia o livro, mas a proposta dele é bem interessante para o leitor conhecer um pouco mais sobre a realidade dessas crianças que estão ao mesmo tempo perto e longe da nossa realidade, faz literalmente o leitor parar para refletir, adorei a dica.


    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Parece um livro muito interessante! Nunca entendi o papel da Unicef muto bem, achei a postagem incrível! Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS 17 MELHORES SUSPENSES DE TODOS OS TEMPOS

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [3/4]

DIÁRIO DE LEITURA - A GUERRA DOS TRONOS #1