AS CRÔNICAS DE NÁRNIA: O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA - C.S. LEWIS

"Edmundo experimentou uma misteriosa sensação de horror. Pedro sentiu-se valente e vigoroso.
Para Susana, foi como se uma música deliciosa tivesse enchido o ar. E Lúcia teve aquele mesmo
sentimento que nos desperta a chegada do verão. Assim, no coração da terra encantada de Nárnia, as crianças lançaram-se numa mágica aventura." 

A resenha de hoje é sobre o segundo livro da série "As Crônicas de Nárnia", que tem uma história tão linda como a primeira. Já começa pela dedicatória muito fofa que o autor faz para sua sobrinha: 
"Minha querida Lucy,

Comecei a escrever esta história para você, sem lembrar-me de que as meninas crescem mais depressa do que os livros. Resultado: agora você está muito grande para ler contos de fadas; quando o livro estiver impresso e encadernado, mais crescida estará. Mas um dia virá em que, muito mais velha, você voltará a ler histórias de fadas. Irá buscar este livro em alguma prateleira distante e sacudir-lhe o pó. Aí me dará sua opinião. É provável que, a essa altura, eu já esteja surdo demais para poder ouvi-la, ou velho demais para compreender o que você disser. Mas ainda serei o seu padrinho, muito amigo,

                                                            C. S. Lewis"
 
    Essa história então, vai dar continuidade à primeira. Para quem não viu a resenha anterior, segue o link: clique aqui. No final de O sobrinho do mago, Digory e Polly enterraram as sementes da maçã - que teve o poder de curar a mãe de Digory - junto com seus anéis mágicos no quintal de casa. E dessas sementes nasceu uma árvore que mais tarde teve sua madeira usada para a confecção de um guarda-roupa. Esse guarda-roupa pertence a um professor solteiro que mora com uma governanta e três criadas numa casa muito grande.
    Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia foram mandados a essa casa por sua mãe, até que a guerra terminasse. O pai das crianças estava servindo como soldado e Londres sofria ataques constantemente. Os irmãos adoraram o lugar, por ser uma casa antiga, tinha muito o que vasculhar. Brincavam o dia todo e só viam o velho professor durante as refeições. Mas nos dias chuvosos, a única diversão era ler um livro ou ouvir rádio.
    Porém, foi durante uma brincadeira de esconde-esconde que Lúcia descobriu a sala vazia e o guarda-roupa que lhe serviu de esconderijo. O guarda-roupa estava cheio de enormes casacos de pele, mas também continha um reino nunca antes imaginado por Lúcia: Nárnia - uma terra encantadora onde podia se ver todo tipo de criatura. Porém, tudo ali estava condenado pela bruxa malvada Jadis. Ela usou seu poder para que em Nárnia sempre fosse inverno, mas nunca Natal.
    Foi isso que Lúcia viu: um bosque muito frio e escuro, apenas iluminado por um lampião. Lá ela conheceu o Sr. Tumnus, um fauno (metade humano, metade animal), o qual levou-a para sua casa a fim de servir uma xícara de chá e contar-lhe toda a história. Nárnia aguardava dois reis e duas rainhas que viessem destruir a bruxa e libertá-los daquele sofrimento. Quem mais poderia ser senão Lúcia, Edmundo, Pedro e Susana? Lúcia voltou para casa, passando novamente dentro do guarda-roupa, desesperada para encontrar os outros e levá-los àquele lugar também. Mas como contar tudo o que viu para os outros irmãos? Eles acreditariam nela? E mais: eles seriam capazes de ser tornarem reis e rainhas de Nárnia?

 

Informações Gerais:
Ano de Lançamento: 2009
Número de Páginas: 184
Editora: Martins Fontes

Minha nota:


    Este livro tem adaptação cinematográfica. Que ao meu ver, é perfeita *-* Além disso, é extremamente fiel ao livro. É a terceira vez que eu leio esse livro e pra mim foi a leitura mais legal dele porque separei uma noite aqui em casa, e ao mesmo tempo em que lia um capítulo do livro, assistia à cena corresponde no filme. É incrível, assistam. Quem ainda não viu, vou deixar o trailer aqui: 



    Li em uma noite: Eu sentei para ler às 20h e terminei 23h 30 min (isso, lendo e assistindo). Você não se dá nem ao trabalho de imaginar, de compor as cenas na sua cabeça porque o filme está realmente igualzinho. Adorei ler dessa maneira. Quero fazer isso com os outros da série que também tem filme. Fica a dica pra vocês ! 



O Autor




Clive Staples Lewis, conhecido como Jack pelos amigos, nasceu em Belfast, Irlanda, em 1898. Lewis e seu amigo, J. R. R. Tolkien, autor da trilogia O Senhor dos Anéis, faziam parte do Inklings, um clube informal de escritores que se reuniam num pub local para discutir idéias para as histórias. A fascinação de Lewis por contos de fadas, mitos e lendas antigas, juntamente com a inspiração trazida da infância, levaram-no a escrever O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, um dos livros mais apreciados de todos os tempos. Seis outros livros vieram depois e resultaram no popular As crônicas de Nárnia. A crônica final da série, A última batalha, recebeu a Carnegie Medal, uma das mais altas marcas de excelência da literatura infantil.








Boas leituras a todos, grande beijo !


Comentários

  1. Eu tenho uma enorme dúvida se o professor é o sobrinho do mago

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS 17 MELHORES SUSPENSES DE TODOS OS TEMPOS

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [3/4]

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [4/4]